3 Maneiras dos Irmãos Afastarem as Pessoas da Igreja

Tres Maneiras

Por Vince Antonucci, pastor na Verve, uma Igreja em Las Vegas Strip para pessoas que não gostam de Igreja - reportagem publicada em 14 de agosto de 2015.

Eu cheguei a Deus vindo de uma realidade não-cristã e sem a presença da Igreja. Desde então, tenho dedicado minha vida a ajudar outras pessoas a vir conhecer Deus. Na minha experiência, eu também vi muitas igrejas que, em seu esforço para levar as pessoas a Deus, na verdade acabaram tirando as pessoas de sua fé. Ver isso, me levou a três maneiras fáceis de desencorajar as pessoas de se interessarem pela Vida Cristã:

1. Nós não conduzimos o outro com Amor

As pessoas precisam de verdade e de amor, e o que os cristãos têm a oferecer ao mundo é verdade e amor. É uma combinação perfeita. Isso deve funcionar. Mas se você quiser afastar o interesse das pessoas em Deus, tudo que você tem a fazer é conduzi-las apenas com a verdade. Muitas vezes, conduzir apenas com a verdade impede que uma relação seja formada. Conduzir somente com a verdade coloca as pessoas em uma postura defensiva e fecha os ouvidos e corações para receber a sua mensagem.

As pessoas querem ouvir a verdade. As pessoas precisam ouvir a verdade. Mas elas não querem ou precisam ouvir isso de um bobão. E se você compartilhar a verdade com as pessoas antes de ganhar a sua confiança, é quase impossível não ser percebido como um bobão.

Ted era o técnico de som para o Grateful Dead (antiga banda de rock). Ele nunca tinha ido à igreja e não tinha interesse em Deus. Sua irmã, uma cristã que vive em um estado diferente, implorou para que ele viesse conhecer a nossa igreja. Um dia, ele finalmente apareceu. No final, ele se ofereceu para ajudar na execução do som. Na nossa reunião de pré-serviço de produção, ele anunciou a todos que ele não acreditava em nada que a nossa igreja ensinava. Então eu perguntei por que ele continuava a participar. Ele ficou emocionado e disse: “Eu nunca me senti amado assim antes”.

Ted continuou vindo à nossa igreja, e quatro meses mais tarde, ele aceitou a nossa Verdade. Na verdade, ele aceitou a Jesus, que é a Verdade. E enquanto eu escrevo isto, já há 10 meses após Ted ter aparecido pela primeira vez, ele está atualmente no exterior em uma viagem de missão onde ele está amando as pessoas, e esperando que elas venham conhecer a Verdade que poderá libertá-las.

2. Nós pedimos as pessoas para se comportarem antes que elas acreditem

Sandy não cresceu em uma família cristã, mas ela sempre acreditou que devia existir um Deus, e ela queria conhecê-Lo. Enquanto criança e jovem adulta, ela tentou ir a várias igrejas, mas nunca mais voltou a nenhuma delas uma segunda vez. Todas as igrejas disseram a ela o que ela deveria e não deveria fazer. Várias igrejas pediram a ela para se vestir de forma mais adequada em sua próxima visita. Naturalmente, não haveria próxima visita. Ela se sentia julgada e incapaz de viver por exigências da igreja.

Sandy mudou-se para Las Vegas e se tornou uma imitadora de Britney Spears, dançando provocativamente com trajes lascivos em um cassino na Strip. Então, um dia, ela apareceu em nossa igreja. Sim, ela estava vestida de forma inadequada, mas nós escolhemos ignorar isso. Sentimos que nosso papel era apontar-lhe para Jesus e não aponta-lhe o que havia de errado com sua vida. Não podemos esperar que os não-cristãos vivam como cristãos. Na verdade, sem a presença fortalecedora do Espírito Santo, as pessoas não podem viver da maneira que Deus quer que eles vivam.

Sandy agradeceu nossa família da igreja por "mantê-la positiva" e voltou uma segunda vez. Na verdade, ela continuou frequentando até que ela passou a ter fé. E então, ela mudou tudo. Vestiu-se de forma diferente, rompeu com seu namorado e deixou o emprego. Por que ela começou a "se comportar"? Porque ela agora acreditava e tinha Deus alertando e ajudando-a a fazer essas mudanças.

3. Nós firmamos a comunidade em crenças compartilhadas ao invés de no quebrantamento compartilhado

Cada comunidade de pessoas que compõem uma igreja mantém muitas coisas em comum, muitas preferências de música, geografia, etnia e assim por diante. Mas em muitas igrejas, um fator comum muitas vezes age como o teste decisivo para inclusão: a partilha de crenças. Quando você baseia sua igreja em crenças compartilhadas, isso pode levar ao orgulho. “Nós estamos certos. Eles estão errados”. Isso leva a uma mentalidade “nós contra eles”. Isso leva à exclusão. As pessoas que não acreditam como nós, se sentem como estranhos que nunca poderiam ser incluídos.

Ao invés disso, deveríamos firmar nossas comunidades da igreja em quebrantamento compartilhado. Isso não quer dizer que não devemos compartilhar crenças, mas as nossas crenças compartilhadas não devem ser a cola ou o teste decisivo. Em vez disso, as comunidades cristãs devem se unir em torno do fato de que vivemos em um mundo caído, onde é fácil ser machucado. Estamos todos com problemas, todos nós estamos sofrendo e todos nós estamos olhando para Jesus como o único que pode nos limpar e nos curar e nos colocar de volta no camimho certo. Quando você baseia sua igreja em quebrantamento compartilhado, ele leva a humildade. Isso leva a inclusão. Isso leva a uma mentalidade de "Estamos todos juntos nisso." As pessoas que se sentem como estranhas tornam-se rapidamente incluídas, porque elas estão quebrantadas também.

Violando o nosso propósito

Jesus muitas vezes ficou irritado com os fariseus por afastarem as pessoas de Deus quando eles deveriam estar ajudando-as a conhecê-Lo melhor. Ele limpou o templo quando os líderes religiosos disseram ao povo que os sacrifícios que levavam não eram bons o suficiente. Ele denunciou publicamente os fariseus, dizendo: “Ai de vós, porque vocês carregam as pessoas para baixo com fardos que elas dificilmente podem transportar, e vós mesmos não levantam um dedo para ajudá-las” (Lucas 11:46).

Quando gentios começaram a vir à fé pela primeira vez, os cristãos judeus insistiram que esses novos convertidos deveriam começar a se afastar das tradições judaicas. Isto foi difícil para os gentios. A situação foi levada para os líderes da Igreja em Jerusalém, que olharam para o ocorrido e anunciaram sua conclusão: “É o meu juízo, portanto, que não devemos por dificuldade aos gentios, que estão se convertendo a Deus”. (Atos 15:19) .
Nossa missão é buscar e salvar o perdido, é ajudar as pessoas a vir a Deus. Mas acontece que ainda é fácil fazer com que isso se torne difícil para as pessoas. Quando fazemos isso, violamos o nosso propósito. Precisamos fazer tudo que podemos para permitir que Deus nos use para chamar as pessoas para mais perto Dele.

Tradução by Pablo Henrique

Inspiração

Romanos 1