Stephen Curry: 'Tudo posso através de Cristo'

Jogador

Por Charles Chandler, Decision Magazine, reportagem de 18 de fevereiro de 2014. 

Nota do Editor: Stephen Curry, do Golden State Warriors (time de basquete norte-americano) foi nomeado o jogador mais valioso da NBA (liga de jogos de basquete) em maio de 2013. Aqui vai um pouco da história Curry - originalmente publicada na edição de Fevereiro de 2014 da Decison Magazine.

Para Stephen uma coisa é certa: “Tudo posso n’Aquele que me fortalece”. Filipenses 4:13

Você sabe que você chegou como um talento de elite do basquete quando o atual campeão por duas vezes, Miami Heat, e o melhor jogador da partida, LeBron James, não puderam resistir aos seus passes de jogo, que os mandaram de volta para South Beach, com direito a seu aperto de mãos. “Um dos melhores armadores que o NBA verá”, disse James. “[No jogo] você só espera que ele possa cometer algum erro”, acrescenta o adversário. 

O armador é Stephen Curry, um jogador de 1,91 de altura e 84kg, que joga na liga MBA pelo Golden State Warriors e quem fez o clima esquentar no mês passado com 36 pontos, 12 assistências e 4 roubos de bola. Foi o suficiente para dar a ele, uma boa visibilidade.
Mas não é apenas o Stephen (pronuncia-se Stef-en, Stef abreviado). [Na verdade], ele é um marido e um pai que ama muito a Jesus, conhecido por uma humildade que surgiu quando ainda era garoto na cidade de Charlotte (Carolina do Norte-EUA), com pais devotos a Cristo e que começavam todas as manhãs com uma família unida e em oração antes das aulas.
Desde então, Steph evolui de um jogador de Ensino Médio recrutado, para um universitário cheio de vida e garra que quase levou a pequena Davidson College (Faculdade) para a final de 2008 e, para agora ser nada menos que um superstar da NBA, em ascensão. Ajuda o fato de seu pai Dell ter jogado por 16 anos na liga, e seu irmão mais novo Seth ter jogado no Duke. Stephen está carregado de confiança, mas de nenhuma prepotência.
Às vezes ele aponta seu dedo indicador para cima depois de dar um dos longos pulos de arremeço de cesta, o que se tornou sua marca. Essa foi uma prática que ele começou no Davidson, por sugestão de sua mãe, como um sinal exterior e lembrança interior de que é para Deus toda a glória de seu sucesso.
“Obviamente, há sempre muita fama e tumulto que te acompanha onde quer que você vá, mas eu sei de onde veio meu talento”, disse Stephen ao Decison(revista) em Dezembro quando ele estava em sua cidade natal em um jogo contra o Charlotte BobCats.
“Eu sei porque eu jogo um jogo, e não é para marcar 30 pontos por noite, mas para aproveitar a etapa em que eu me encontro. Eu fui colocado aqui com um propósito específico: para ser uma testemunha e dar meu testemunho enquanto eu caminho por essa etapa”.
Ano passado, em uma coluna do website da Associação dos Atletas Cristãos, Steph escreveu que ele ama apontar as pessoas para “o Homem que morreu pelos nossos pecados na cruz. Eu sei que eu tenho um lugar no céu esperando por mim por causa dele. E isso é algo que nenhum prêmio terreno ou troféu poderia trazer”.
Steph cresceu frequentando a Igreja, mas só começou a ter uma juventude a serviço das coisas de Deus aos 13 anos, quando ele aceitou Jesus como seu Senhor e Salvador pessoal. “Foi uma grande decisão que meus pais não poderiam fazer por mim”, disse ele. “Foi uma grande caminhada, desde então. ELE significa tudo para mim”.
É difícil mensurar o quanto Steph, de 25 anos (hoje ele tem 27 anos), em sua quinta pró-temporada, significa para o Warriors como jogador e como líder espiritual. Curry levou o Golden State a 10 jogos de vitórias ininterruptas que acabaram em Janeiro. Ele estreou na NBA no domingo e já é o 5º maior pontuador este ano (em fevereiro de 2014 – 24.6 pontos por jogo) e 2º maior em assistência (9 por jogo).
Muitos consideraram um erro grosseiro o fato dele não ter sido selecionado para a liga principal nos jogos anteriores – particularmente desde quando ele bateu um recorde histórico de 3 pontos a mais conquistados em uma mesma temporada (total de 272) e ascendeu o Madison Square Garden com uma performance de 54 pontos em uma vitória sobre o New York Knicks. Tudo isso ocorreu apesar das incômodas lesões no tornozelo. Agora que ele está curado, ele está melhor do que nunca.
“Ele é um cara calmo, legal e reservado que tem uma tremenda fé”, disse o treinador do Warriors, Mark Jackson, que pastoreia uma Igreja em Van Nuys, California. “Ele vem jogando e atuando como o melhor jogador da pista e fora da pista. É realmente bom de assistir. E isso leva todo mundo [do resto do time] a um patamar diferente”.
Curry e Jackson tem uma relação única entre jogador e treinador pelo amor a Cristo de que eles compartilham. “Ele é o tipo de cara que você olha e diz “É assim que eu quero que meu filho seja”, disse Jackson. “É um grande testemunho para quem ele é e ao Deus que ele serve. Ele vem de uma boa base e de uma boa criação. Eu fiz questão de ir até os pais dele e agradecer pela maneira que eles o criaram. Tem sido uma benção tremenda para mim e para minha família treiná-lo e confiar a ele o time de basquete. Se eu for apostar em alguém – o que eu realmente estou fazendo – realmente será em um cara que tenha um caráter tremendo”.
Colegas de time descrevem Steph como um modelo de perseverança fora e dentro da quadra. “Ele é, provavelmente um dos superstars mais humildes que já conheci” disse o jogador do Warriors, Harrison Barnes. “Muito disso é baseado em sua fé. Ele é um cara que não apenas fala sobre isso, ele vive isso. E eu acho que ele armazena muito respeito no vestiário por causa disso”. Outro jogador do Golden State, David Lee disse que Steph cumpriu seu papel integralmente ao colocar Deus em sua vida. “É algo como um estilo de vida para ele”, disse Lee. “Eu o assisti, algumas vezes, a distância, mas eu também o fiz algumas perguntas sobre sua fé. Ele tem sido uma influência enorme para mim”.
Steph e sua esposa, Ayesha, se conheceram quando adolescentes na Igreja, e estão casados por quase 2 anos e meio. Ele a pediu em casamento no mesmo lugar da entrada de garagem que eles tiveram o primeiro beijo. E em vez de receber presentes, eles pediram aos convidados de seu casamento para fazerem doações para uma organização que dá suporte a esposas e filhos de soldados.
Eles têm uma filha de 18 meses, Riley, e Stephen canta musicas da Disney frequentemente quando segura ela. Durante uma viajem missionária para a Tanzânia, Stephen escreveu um poema sobre Riley. De acordo com reportagem do ESPN.com, ele ligou para sua esposa enquanto ele estava em um campo entre meio a cabras e cantou a seguinte estrofe: “Quando eu olho para a nossa filha, eu fico radiante de alegria. Ela é o melhor exemplo de nosso amor interior”. Ayesha permaneceu em silêncio por 30 segundos.
Enquanto ele estava na Tanzânia, Steph doou 816 redes de proteção contra mosquito – três para cada três pontos que ele fez na última temporada – para refugiados africanos na luta contra a malária no país. O pai de Steph, Dell, disse que a viagem ajudou a lembrar Steph a nunca tomar nada na vida como certo e definido. “Ele entende que tudo é dado pelo Senhor, e que tudo também pode ser tirado por Ele”, diz ele.
Dell admite facilmente que seu filho Steph é um jogador muito melhor que ele era. Como seu pai, Steph possui o que é conhecido como mentalidade de armador. Mesmo que ele perca um punhado de arremeços em uma jogada, ele continua tentando. No jogo de Dezembro em Charlotte, ele errou sete das suas oito primeiras tentativas. Mas terminou a partida com 43 pontos. Recuperações são exemplos de como o basquete ajudou Steph a ganhar perseverança espiritual, o que pôde ser especialmente observado durante as temporadas de 2011-2012, quando ele perdeu 40 jogos com lesões nos tornozelos.
Independentemente de sua saúde ou de como ele joga em uma noite, Stephen é conhecido por ter uma regularidade e um temperamento enraizado em um de seus versos preferidos da Bíblia, Filipenses 4:13: “Tudo posso n’Aquele que me fortalece”.
Embora ele seja um competidor intenso que às vezes lança seus punhos e sorri para os flashes depois de um key play, ele disse que o que mais o entusiasma é passar tempo com sua família. “Eu amo jogar e amo quando coisas boas acontecem” ele diz. “Mas quando chego em casa, é só o amor pela minha família e pelas bênçãos em minha vida que imperam, sem permitir que [o basquete] defina a minha personalidade ou meu caráter. O tempo com minha esposa é enorme, para que nós possamos continuar crescendo e não sermos complacentes com o ponto em que estamos ou que estamos caminhando com Cristo. Obviamente, nós sempre podemos melhorar e crescer nisso”.
O Miami Heat e o resto da NBA agradecerão se as jogadas de Curry não continuarem dando certo. ©2014 BGEA

Jogador2
*Essa reportagem é do início de 2014 e fala da evolução de Stephen Curry como jogador de Basquete pela Liga Americana do NBA. Este ano, em 2015, ele já é considerado o Jogador Mais Valioso do NBA (MVP-Most Valuable Player) na temporada, o que prova que a perseverança é mesmo uma de suas características mais marcantes, tendo como base de tudo o temor a Deus. Desse modo, Stephen é um exemplo de sucesso para todos nós.

Tradução by Pablo Henrique

Inspiração

Romanos 1