Entrevista com Carol Ferreira | Especial Dia das Mães

Carol

Não deixe de ler esta linda entrevista com a Carolzinha Ferreira, esposa do Henrique. É emocionante!

Para mim um dos momentos mais emocionantes que vivi em minha gravidez foi o primeiro ultrassom, em que ouvi o coração da Isabela bater pela primeira vez! Chorei o dia todo, não conseguia parar! 

“Não existe sucesso na vida que compense o fracasso no lar.” Cuide bem do seu lar. É seu papel proporcionar um ambiente de conforto e bem estar tanto material, físico, como emocional em sua casa.

1) Quem é você? Há quanto tempo é mãe?

Meu nome é Carolina Archanjo Portes Ferreira. Sou mãe há 37 semanas.

2) Este será o seu primeiro Dia das Mães como mamãe! Quais as suas expectativas?

Siiim! Sãao taaaantas... Já sonho com o aniversário de 1 aninho dela!
Estou atualmente organizando o chá de bebê da minha Isabela. Será uma data muito especial. Ser mãe tem sido melhor do que eu esperava até agora. Por enquanto são muitas preparações e pura expectativa!
O céu pra mim hoje é sentir meu baby mexer dentro de mim! rsrs
Certamente será ainda melhor depois que minha filha nascer... como eu quero conhecê-la, abraçá-la, beijá-la, cheirá-la, ouvir seu chorinho, ver seu sorriso.... ! Minha expectativa é tê-la juntinho de mim e vê-la crescer, tornando-se uma mulher virtuosa, temente a Deus e que serve a Deus e às pessoas.

3) Você sempre quis ser mãe? Conte-nos um pouquinho de como o Senhor gerou esse sonho no seu coração.

Sim. Sempre quis. Nasci em uma família muito bem estruturada em que cada um dos meus pais cumpriu seu papel dentro de casa. Meu maior sonho sempre foi ter a minha família, a família que eu formaria junto ao meu marido. Criei um perfil para mim no Pinterest chamado ~MomTo Be~ em 2012, meses depois que casei, em que eu já colecionava dicas de criação de filhos, coisinhas legais pra crianças, fotos de inspiração, blogs que eu gosto, amamentação, etc... Eu queria estar beem preparada quando o tempo chegasse e sempre todos os meus sonhos envolviam minha futura família.
O que não estava muito certo para mim era quando seria o tempo para isso. Em função das conquistas que eu e meu marido gostaríamos de ter antes de aumentar a família e do tempo que imaginávamos que levaria para chegar lá, frente aos nossos desafios e planejamento. Colocamos em mente que nosso alvo era ter nosso primeiro filho após cinco anos de casamento, tempo que imaginávamos que levaríamos para alcançar uma maior estabilidade, especialmente financeira, a fim de dar melhores condições aos nossos filhos.
Mas aprouve ao Senhor que com três anos e seis meses de casamento tenhamos nossa primeira preciosidade<3.
Sou uma pessoa muito organizada e perfeccionista. Tenho prazer em fazer listas, planejar, anotar tudo que ocorreu em meu dia e ter o controle sobre o que faço. Isso me traz segurança, mas além disso, faz parte da minha personalidade desde muito pequena. Sinto um prazer enorme em ver uma lista de afazeres toda riscadinha! Haha! Até então sempre tive muita dificuldade em lidar com situações em que meus planos dessem errado e situações em que não tenho controle sobre o que acontece ao meu redor. Mas, desde que engravidei, Deus resolveu chacoalhar tudo, abalar minhas estruturas! Rsrs. Antes eu pensava que isso me tornaria o tipo de pessoa que se coloca como vítima das suas circunstancias e que justifica sua desorganização colocando a culpa em fatores externos... Mas como Deus tem me mudado!
Ser mãe tem sido uma grande aventura e o Senhor tem me ensinado a cada etapa do processo a confiar Nele, a depender Dele, a continuar planejando (quando dá), me preocupar cada vez menos em ter esse controle, e entender que simplesmente eu agia dessa forma muitas vezes por uma cobrança ou prestação de contas da minha vida às pessoas. Aprendi surpreendentemente a descansar quando tudo foge do meu controle (o que tem ocorrido com muuuuita frequência nos últimos meses. Vocês não fazer ideia! Kk) e a não me importar com o que os outros pensam. Não foi fácil a princípio, mas o Senhor tem nos dado graça e provisão a cada dia.
As conquistas que almejávamos ainda são parte dos nossos sonhos como família, a diferença é que os alcançaremos juntos dos nossos filhos. Nossas vidas estão nas mãos do Senhor e Ele tem provido TUDO! Em cada detalhe vemos o cuidado e a benção do Senhor sobre nós, cedendo até a alguns caprichos meus, realizando os sonhos que eu tenho para minha filhotinha.

4) O que você mais admira na sua mãe?
Minha mãe tem um coração enorme, maior que ela. Ela sempre coloca as pessoas a frente dela mesma. Admiro a organização dela e o cuidado que ela tem com a casa. Não existe uma pessoa que eu conheça melhor que minha mãe para colocar cada coisa em seu lugar e limpar tudo detalhadamente. Ela é excelente esposa, mãe, pastora. Uma mulher virtuosa que ama as pessoas de verdade, sem fingimento, que se importa, é boa conselheira, boa ouvinte.
Sinto que a maternidade tem me aproximado dela de uma forma como eu nunca antes havia experimentado. O Senhor tem falado ao meu coração sobre os sonhos do coração da minha mãe e do que eu posso fazer para ajudá-la a alcançá-los.

5) O que você pretende ensinar ao(s) seu(s) filho(a)(s) e o que você pretende aprender com ele(a)(s)?

Quero ensiná-los os caminhos do Senhor, contar historinhas da Bíblia todas as noites antes de dormir como meu pai fazia comigo, quero ensiná-los o temor do Senhor e a fazer suas escolhas com sabedoria. Quero educá-los a ter caráter e uma personalidade forte, porém tratável. Com eles, sei que irei aprender a amar...

6) Qual passagem bíblica ou personagem bíblica te inspira a ser uma mamãe de excelência?

Provérbios 31!!

7) Quais são os desafios de ser jovem e mãe?

Eu diria que o principal é a vida profissional e financeira. Após os 20 anos a maioria das jovens hoje está fazendo uma faculdade e buscando crescimento e reconhecimento profissional, além de estabilidade financeira. Comigo não foi diferente.
Casei aos 22 anos, engravidei aos 25. Graças a Deus eu havia colado grau um mês antes de engravidar, o que me poupou de mais complicações e dilemas. Sempre pensei que a maternidade não competiria com minha vida profissional se eu tivesse um planejamento claro e prioridades bem definidas, mas tenho pensado diferente hoje. Só o fato de ter engravidado já complicou (e muito!) minha vida no escritório. Essa foi a minha experiência. Cheguei à conclusão que a decisão para as mulheres nesse sentido nunca será fácil.
Muitas mulheres devido à necessidade de trabalhar fora sofrem por não poder dar aos seus filhos toda a atenção e cuidado que elas gostariam. Ao mesmo tempo, elas têm de lidar com a pressão de escolher entre o que elas conquistaram como indivíduos em termos profissionais, que pode ser algo com o que elas sempre sonharam e não querem/não podem abrir mão e a criação de seus filhos. Planejamento é muito importante nessas horas, assim como uma definição clara de prioridades da família. Conheço a polêmica que existe sobre o assunto, também não quero insinuar que mães que não trabalham e se dedicam 100% aos seus filhos, em tempo integral, sejam mães melhores que as que trabalham, de forma alguma. O que estou colocando aqui é que, uma vez definidas as suas prioridades, você precisa abraçar o preço das suas escolhas. Tomá-las é o mais difícil.
Se você é uma jovem casada e tem como prioridade hoje sua vida acadêmica ou profissional, a tendência é adiar o crescimento da família, mas isso nem sempre depende somente do nosso planejamento. O ponto principal é saber tomar a decisão certa se nossos planos iniciais não correm como havíamos imaginado, o que friso bem aqui, pode ser o início da melhor aventura que você já viveu em sua vida! Nossas vidas estão nas mãos do Senhor e, talvez, como foi o meu caso, Ele queira refazer o seu planejamento de acordo com Seu plano para sua família. Já pensou nisso?

8) Conte-nos uma história engraçada ou um momento especial da sua gravidez!

Para mim os momentos mais emocionantes que vivi em minha gravidez foram o primeiro ultrassom, em que ouvi o coração da Isabela bater pela primeira vez! Chorei o dia todo, não conseguia parar! Foi lindooo! E o segundo foi quando senti ela mexer dentro de mim pela primeira vez, em um feriado no sítio do tio Alex.

9) Se você pudesse deixar uma mensagem para as mães cristãs, o que falaria?
“Não existe sucesso na vida que compense o fracasso no lar.” Cuide bem do seu lar. É seu papel proporcionar um ambiente de conforto e bem estar tanto material, físico, como emocional em sua casa. Ame seu marido e seus filhos. Demonstre isso com pequenos atos de serviço e carinho todos os dias. Cuide bem da sua casa, faça aquele jantar que seu marido ama, assuma o cuidado com sua família como seu principal ministério! Assim como o pai representa o amor de Deus em seu papel desempenhado dentro do lar, o amor demonstrado pela mãe é a representação do amor do Espirito Santo: consolo, conforto, abraço, abrigo, serviço, um amor desinteressado que se importa mais com o outro que consigo mesmo, um coração “mole”, quebrantado e inocente, que muitos podem julgar como fragilidade, mas essa é a sua maior força.
Independentemente do que o mundo diga ser o papel da mulher hoje em dia, nosso desígnio nunca mudou: fomos chamadas para gerar os propósitos e o mover de Deus. Essa deve ser a sua escolha e prioridade todos os dias. Feliz dia das mães, preciosas criaturas do coração! <3

Entrevista mediada by Raquel Helen

Inspiração

Romanos 1